Desde quando começamos a produzir nossos textos na escola, aprendemos que “cada parágrafo deve abordar um assunto”. Entretanto, com o tempo, parece que perdemos a noção do quanto “mede” cada parágrafo, ou seja, de quantos aspectos do mesmo assunto conseguimos discutir em um único parágrafo.

Além disso, escrevemos nossos textos privilegiando um tema e, por isso, precisamos distinguir o que é tema e o que é assunto dentro de uma redação. Para simplificar, podemos entender que um mesmo tema engloba diferentes assuntos, ou seja, aspectos distintos sobre determinada questão, que serão agrupados em virtude do ponto de vista que se quer defender.

Quando vamos elaborar uma “redação de vestibular”, temos que seguir um formato “engessado” de 4 a 6 parágrafos, em virtude da quantidade de linhas disponíveis (cerca de 30) e da estrutura clássica da dissertação (introdução, desenvolvimento e conclusão).

Passada essa etapa, vem a monografia (resultante do Trabalho de Conclusão de Curso), na qual temos mais liberdade para trabalhar com parágrafos curtos, em forma de topicalização dos assuntos discutidos. No mestrado, passamos a apresentar discussões mais substanciosas sobre um mesmo tema, dentro do qual discutimos vários assuntos. Enfim, no doutorado, nossas reflexões tornam-se ainda mais densas e o cuidado com a paragrafação deve ser ainda maior.

Independentemente do gênero textual com o qual estamos trabalhando, a divisão dos parágrafos por assunto sempre prevalece, mas, nem por isso, o parágrafo deve servir como uma “camisa de força”. É a consistência das discussões que faz de cada parágrafo uma representação maior ou menor de um microtexto. Isso significa que todo e qualquer parágrafo deve ter um começo, um meio e um fim, ou melhor, uma introdução, um desenvolvimento e uma conclusão em torno de uma ideia-núcleo.

Feita a divisão dos parágrafos, precisamos nos preocupar, ainda, com a coesão e a coerência textuais, que garantirão o fio condutor entre os parágrafos…mas essa discussão é muito extensa para outro parágrafo…fica para outro post…

Fernanda Massi é Mestra e Doutora em Linguística e Língua Portuguesa pela UNESP/Araraquara e Pós-doutora em Linguística Aplicada pela UNICAMP. Foi professora de Metodologia do Texto Científico na UNESP/Araraquara e na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), tendo orientado trabalhos de conclusão de curso e de iniciação científica. Trabalha com revisão de texto desde o início da sua graduação em Letras, em 2004, e já revisou inúmeros trabalhos de diversas áreas. É também a responsável pela equipe de revisão da Letraria.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

A importância da leitura
Publique seu artigo científico!