O QUE É A ESCRITA CIENTÍFICA?

A escrita científica é uma característica dos trabalhos acadêmicos (resumos, artigos, tcc, dissertações ou teses). Esse tipo de escrita é muito cobrado, mas pouco explicado. Assim, os estudantes precisam usar a escrita científica, mas não sabem como fazer isso.

Neste texto, estamos falando de uma “escrita científica” em língua portuguesa. Ou seja, apesar de ter algumas particularidades, esse estilo não vem de outro planeta! Por isso, não se desespere.

O que caracteriza a escrita científica é o modo como vamos escrever: formal, objetivo e impessoal. Isso porque estamos em um contexto de produção científica, que requer essas características.

COMO UTILIZAR A ESCRITA CIENTÍFICA?

Para facilitar o aprendizado da escrita científica, preste atenção a estes três aspectos: quem fala, quando fala e como fala.

1) Quem fala?

Utilize a terceira pessoa do singular (ele/ela) para se distanciar do seu objeto de pesquisa. Usando termos como “a pesquisa”, “este trabalho/TCC”, “o problema”, “este estudo”, sua escrita fica mais impessoal.

Você até pode usar a 1ª pessoa do plural (nós), no sentido de “eu e meu orientador”, “nosso grupo de pesquisa”, mas evite a 1ª pessoa do singular (eu). Assim, você caracteriza uma constatação objetiva e não uma opinião.

2) Quando fala?

Para marcar o tempo verbal, siga a mesma lógica do seu cotidiano. Isso é, use o passado para ações concluídas, o presente para ações em curso e o futuro para ações que ainda serão realizadas.

Em termos de estrutura do trabalho acadêmico, o presente indica seus objetivos e a justificativa da pesquisa. Por sua vez, o passado indica as etapas que você já concluiu (resultados). Enfim, o futuro serve para o que ainda vai descobrir ou realizar.

3) Como fala?

Nesse momento, precisamos falar sobre estrutura sintática! Na escrita científica, você deve usar a estrutura sintática padrão da língua portuguesa. Ou seja: sujeito + verbo + objeto (SVO).

Essa estrutura SVO é a mais simples e intuitiva tanto para quem escreve quanto para quem lê. Junto com ela, utilize a voz ativa para trazer mais objetividade.

A seguir, veja alguns exemplos da estrutura SVO e da voz ativa:

A pesquisa tem por objetivo… | O problema consiste em… | A tese é de que… | Os conceitos que ancoram a tese são

Por fim, seja fiel ao seu estilo de escrita, utilizando palavras e estruturas que você conhece e sempre consulte um bom dicionário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Não tem na ABNT! E agora?
SIGLAS: maiúsculas ou minúsculas?