Para não fazer plágio em seu trabalho, você precisa entender como ele se configura e quais são as punições para quem faz uso desse recurso.

Um conceito fundamental que você precisa dominar para não fazer plágio é o de citação. Segundo as normas da ABNT, a citação é a menção do texto de outro autor com as devidas referências, ou seja, com a correta indicação da fonte. Essa citação pode ser direta (literal) ou indireta (paráfrase).

Por outro lado, o plágio é a apropriação indevida de conteúdo elaborado por outra pessoa sem a menção ao autor. Já falamos em outro texto sobre direitos autorais e esse conceito também é importante para se entender o plágio.

O plágio é caracterizado como roubo de ideias e está previsto no Código penal, no artigo 184: “violar direitos do autor e os que lhe são conexos. Pena: detenção de 3 meses a 1 ano ou multa”.

Como não fazer plágio?

Para não cometer o crime de plágio, basta você ser honesto consigo mesmo! Ou seja, quando estiver escrevendo um texto, indique de onde retirou aquelas ideias, onde elas estavam publicadas e quem as escreveu.

Não é crime ler outros textos para escrever o seu! Pelo contrário, o crime é fingir que não leu nada, e, mesmo assim, teve ideias geniais e inéditas.

Quais são as chances de um plágio ser descoberto?

Com o avanço da tecnologia e a disponibilização de textos em bases de dados acessíveis na internet, ficou muito mais fácil detectar o plágio. Há vários softwares que fazem a busca de trechos copiados de outros obras. Essas ferramentas são utilizadas por universidades e por editores de revistas científicas para evitar que teses, dissertações, TCCs ou artigo científicos sejam publicados com plágio.

Além disso, os professores e avaliadores têm um faro aguçado para detectar plágio por conta de seu experiência. Isso porque, durante a leitura de um texto, fica fácil identificar quando o autor mudou o tom, a voz, o vocabulário e está escrevendo de uma forma diferente.

Para garantir que você não está cometendo plágio, basta que você mesmo escreva seu texto!

QUEM ESCREVE?

Fernanda Massi fez Mestrado e Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa na UNESP/Araraquara. Assim que terminou o doutorado, foi professora na UNESP e na UFSCar.  Nesse período, deu aulas de Leitura e Produção de Textos e Metodologia do Texto Científico. Também orientou TCC e iniciação científica. Em seguida, fez Pós-doutorado em Linguística Aplicada pela UNICAMP. Atualmente, Fernanda é a responsável pela equipe de revisão da Letraria.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Como fazer a referência de ARTIGO CIENTÍFICO?
Meu artigo foi REPROVADO… e agora?