De repente ou derrepente? Porisso ou por isso? De novo ou denovo? A partir ou apartir?

Para saber se essas palavras são escritas juntas ou separadas, é preciso entender o que elas significam.

Mesmo que a gente não saiba exatamente a qual classe gramatical elas pertencem, sabemos que elas existem fora desse contexto. Ou seja, “repente”, “isso”, “novo” e “partir” são usadas em outras construções e têm significado próprio.

Por exemplo, “repente” diz respeito a uma “ação repentina, dito repentino e impensado”, segundo o Dicionário Houaiss. Já “isso” é um pronome demonstrativo, ou seja, substitui algo que está longe de quem fala e perto de quem escuta.

Da mesma forma, “novo” não é uma palavra nova. 😉 Ela indica algo que ainda não era conhecido. Por fim, “partir” é um verbo que pode indicar uma divisão (partilha) ou um afastamento (ida).

E qual é a forma correta? De repente ou derrepente?

Depois de entendermos o significado dessas palavras, percebemos que sobraram algumas partículas, como “de”, “por” e “a”. Essas partículas são preposições, ou seja, palavras que funcionam como elemento de ligação.

Assim, quando falamos “de repente”, estamos dizendo que algo aconteceu de forma repentina, de súbito. É o que acontece no Soneto de separação, de Vinicius de Moraes:

De repente, não mais que de repenteFez-se de triste o que se fez amante

Já no caso de “por isso”, podemos pensar em outras expressões parecidas, por exemplo, “por esse motivo”. Aqui, estamos apenas trocando “isso” por “esse motivo” e mantivemos as palavras separadas.

Em seguida, falaremos “de novo” sobre essa expressão, que pode ser usada em outros contextos. Ou seja, podemos dizer:

O que você trouxe de bom? Nesse caso, estamos trocando “bom” por “novo” para entender como a expressão funciona.

Por fim, “a partir” também é escrita separadamente, pois indica “deste ponto em diante”. Os preços em uma loja, por exemplo, são tabelados “a partir de R$9,90”. Isso significa que nada vai custar menos do que R$9,90, pois esse é o ponto de partida.

Como memorizar?

Se você quiser resumir esse texto em uma única expressão, lembre-se que elas são escritas sempre separadas! Assim, você não corre o risco de errar de novo ou de repente. A partir de agora, você não precisa mais passar por isso.

Referências

A definição das palavras apresentada neste texto foi retirada do Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa 2009.

QUEM ESCREVE?

Fernanda Massi é Mestra e Doutora em Linguística e Língua Portuguesa pela UNESP/Araraquara. Ela é também Pós-doutora em Linguística Aplicada pela UNICAMP. Foi professora de Leitura e Produção de Textos na UNESP/Araraquara e na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).  Nesse período, orientou trabalhos de conclusão de curso (TCC) e de iniciação científica. Fernanda trabalha com revisão de texto desde o início da sua graduação em Letras (2004) e é também a responsável pela equipe de revisão da Letraria.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Pleonasmo: mais do mesmo?
Como se escreve: cumprimento ou comprimento?